Vê Portugal, um fórum importante de debate e reflexão

0

O 6º Fórum do Turismo Interno Vê Portugal que este ano se realizou em Castelo Branco nos passados dias 21 e 22 de Maio foi considerado um sucesso.

O Cine-Teatro Avenida foi o palco para as 426 pessoas que assistiram aos vários painéis e este ano foram registadas 620 inscrições o que é um recorde. 40 oradores animaram os debates, de destacar as intervenções de Ana Mendes Godinho, Secretária de Estado do Turismo e de Marques Mendes, Conselheiro de Estado.
A sessão de abertura esteve a a cargo de José Augusto Alves, Vice-Presidente da Câmara de Castelo Branco e de Pedro Machado Presidente da Região de Turismo do Centro, responsáveis pelas duas entidades organizadoras e anfitriãs deste evento.
A Região Centro abarca 100 Municípios a maior em termos de território e tem registado de 2013 até 2018 um crescimento acumulado de turistas de 19,9% . Estes são números impressionantes e que responsabilizam, há que criar cada vez mais condições e qualidade nestes territórios.

“O Turismo é uma bandeira do país”
“O Turismo é uma arma de transformação, que consegue mobilizar vários players e que tem a capacidade de abrir o mapa de Portugal, alargando-o a todas as regiões e transformando assim o território”, sublinhou. O foco está, frisou Ana Mendes Godinho, em conciliar “a autenticidade com a inovação e a sofisticação”, a mesmo tempo que se pretende assegurar “a sustentabilidade dos recursos naturais e a sustentabilidade económica”.

Algumas considerações
Isto só demonstra que um sector da economia como é o Turismo e que representa 9% do PIB nacional tem forçosamente que juntar as pessoas e os projetos como uma marca única que é Portugal.
Ficou também patente que combater a sazonalidade é fundamental e a importância que o turismo interno tem nesta questão. Levar os portugueses a conhecer o seu país, criar programas atrativos, a aposta nos produtos endógenos que são identitários das regiões. Autenticidade é a palavra de ordem e trazer os turistas a conhecer o interior é um desafio constante. Mas também ficou a mensagem de que depois de conhecerem voltam sempre.

Na intervenção de Marques Mendes, subordinada ao tema,Binómio Portugal para Viver e Portugal como Destino Turístico, identificou 4 grandes linhas estratégicas para o maior sector exportador nacional.
1- Reforçar a boa imagem – credibilidade, hospitalidade e segurança.
2 – Potenciar os grandes ativos estratégicos – cultura, clima, história, gastronomia e para isso há que qualificar, receber bem e ter qualidade.
3 – Potenciar os pequenos nichos de mercado locais- apostar na iniciativa privada, os organismos de estado devem ser amigos dos investidores, não colocar excesso de burocracia e taxas, quem gera o emprego é a iniciativa privada. Promover territórios de baixa intensidade.
4 – Aposta na imprensa internacional sobretudo a partir de experiências dos que na realidade as vivem. O mensageiro é o melhor vendedor dos locais.
Para já o grande desafio do crescimento.

Painéis
O 1º painel debateu o Cineturismo e foi dos que mais me cativou. Portugal já atrai investimento de grandes produções de audiovisual que pretendem utilizar o país como local de filmagens.
No primeiro painel, Maria Mineiro destacou o facto de o país estar a ser “descoberto pelo mundo”, o que, aliado à aposta do Governo em atrair produções estrangeiras, está a permitir criar condições para que Portugal se torne um destino para a realização de filmes e séries. Foi exatamente com esse objetivo que o Governo criou em Maio a Portugal Film Commission.
Não esquecer que enquanto decorrem filmagens existe uma dinâmica grande nas economias locais e a montante com a atração de visitantes aos locais de filmagens. Veja-se o exemplo da Guerra dos Tronos que transformou a Croácia num dos principais destinos turísticos europeus.
O 2º painel dedicado ao tema “Turismo 4.0 – Portugal, Hub Inovação Digital e os desafios que a tecnologia a economia digital colocam também na atividade ligada ao turismo. Soubemos que o Centro de Inovação do Turismo que vai focar a sua atividade nesta direção será instalado na Covilhã, o que representa também um passo na descentralização.
O 3º painel, intitulado “PROVEREs – Estratégias de Valorização e Promoção” com intervenção de responsáveis por alguns destes projetos mais significativos como sejam a Rede das Aldeias de Xisto ou As Aldeias Históricas de Portugal.
O 4º Painel – ADN Projetos vencedores Diferenciar para ganhar
Pedro de Mello Breyner, membro do Executive Board da Portugal Ventures, António Carlos Duarte, coordenador executivo da Associação Geoparque Arouca (que falou dos Passadiços do Paiva), Luís Rocha, diretor do Dino Parque da Lourinhã, e Paulo Costa, diretor geral da GlobalSport Portugal (organizador das mais emblemáticas provas de atletismo do país), mostraram as razões por detrás do sucesso dos respetivos projetos.
O 5º painel intitulado “Turismo no Interior do País – Ativos Diferenciadores
Os intervenientes focaram o discurso nos ativos diferenciadores que tornam – ou podem tornar – a região Centro de Portugal atrativa para os visitantes.
O 6º painel versou o tema “Turismo na Orla Costeira – Ativos Diferenciadores
António José Correia um dos intervenientes falou nas Estações Náuticas como uma aposta decisiva no mar, enquanto ativo turístico importante. Focou ainda a dimensão do “ecoturismo”, que deve estar na base da estratégia turística nacional.
O 7º painel Lei-Quadro da Transferência de Competência para as Autarquias Locais e Entidades Intermunicipais.
A colaboração entre as Entidades Regionais de Turismo, as autarquias e as Comunidades Intermunicipais foi um dos temas que marcou a tarde do segundo dia do Fórum Vê Portugal.
Para terminar a mesa redonda onde se debateu a promoção Turística Nacional e pela primeira vez cinco regiões de turismo na “mesma mesa”.

Luís Correia, presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco, foi um dos responsáveis pelo encerramento dos trabalhos deixou elogios à organização do evento. “O Fórum Vê Portugal passou a ser uma referência para nós a partir de hoje.
Francisco Calheiros, presidente da Confederação do Turismo Português, salientou o facto de o Turismo “viver um momento desafiante”. “Os últimos cinco anos foram muito bons. Portugal é o 14.º destino turístico mais competitivo do mundo….
Coube a Pedro Machado encerrar os trabalhos. Depois de agradecer à autarquia e ao Instituto Politécnico de Castelo Branco, o presidente do Turismo Centro de Portugal realçou o sucesso que constituiu esta edição do Fórum Vê Portugal e sublinhou o muito que foi conseguido durante os dois dias.

O filme feito pelo Noticias de Coimbra onde Pedro Machado faz o balanço de mais um Fórum Turismo Interno.

Pedro Machado, Presidente do Turismo do Centro, faz balanço do Fórum Vê Portugal.

Publicado por NOTÍCIAS DE COIMBRA em Quarta-feira, 22 de maio de 2019

Pena não estarem incluídas algumas visitas a museus de referência na cidade e que estavam tão perto do Cine-Teatro Avenida, mas segundo a organização o programa era muito intenso e a ideia é fornecer informação bastante para que os participantes conheçam, partilhem e voltem sempre. As pausas para café tiveram a mostra de alguns dos programas que se podem encontrar na região centro e uma mesa com um Bordado de Castelo Branco que ia sendo executado por duas das bordadeiras do Centro de Interpretação do Bordado de Castelo Branco.

O Turismo Centro de Portugal (TCP) homenageou, no decorrer do Jantar Oficial “Vê Portugal”, personalidades e instituições que têm contribuído para o desenvolvimento e notoriedade do turismo na região Centro de Portugal. O Jantar Oficial, que decorreu na Quinta da Dança, em Castelo Branco.

Partilhe

Acerca do Autor

Deixe Resposta

*