Programas de aceleração em turismo avançam para 2ª edição

0

Empreendedores de todo o país, envolvidos em projetos turísticos das mais diversas tipologias, podem candidatar-se aos programas de aceleração Tourism Creative Factory e Open Kitchen Labs, que iniciam agora uma segunda fase, alargada a todo o território e às 12 escolas da Rede Escolar do Turismo de Portugal.

Gastronomia e restauração, alojamento local e rural, enoturismo, saúde e bem-estar, turismo inclusivo e turismo religioso são alguns exemplos do tipo de projetos pretendidos pelo Tourism Creative Factory que disponibiliza um bootcamp intensivo, uma rede de mentores, um plano de formação e tourism labs, num programa com a duração de três meses.

Os Open Kitchen Labs têm por objetivo apoiar startups que pretendam testar novos produtos, serviços ou conceitos na área da alimentação, disponibilizando as instalações e equipamentos das Escolas do Turismo de Portugal para a realização de testes e ensaios que os empreendedores necessitem, de forma a avaliar e validar a viabilidade do seu negócio, de forma sustentada. Os participantes têm um limite de seis meses para desenvolver estes testes.

A Mellow Cooking foi um dos projetos participantes na primeira edição dos Open Kitchen Labs que evoluiu para um modelo de negócio sustentado, tendo angariado, desde então, um investimento de 3 milhões de euros. A empresa desenvolveu um robô de cozinha sous-vide, totalmente controlado à distância através de uma aplicação móvel, que cozinha os alimentos a vácuo mantendo todas as propriedades nutritivas e sabor. Depois de ter testado todas as receitas na Escola do Turismo de Portugal // Lisboa está, atualmente, a vender as primeiras unidades nos EUA.

Para o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, “o apoio ao empreendedorismo e à inovação é uma das linhas prioritárias da estratégia de atuação do Turismo de Portugal. Com estes estímulos à inovação, em toda a cadeia de valor desta atividade tão relevante para a economia nacional, queremos afirmar o país como um polo de referência internacional na produção de bens e serviços para o turismo, uma das metas definidas para o horizonte 2027”.

De acordo com a Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, “estes programas são fundamentais para capacitar a oferta com produtos diferenciadores e inovadores e também para aproximar formação e inovação. Promover a inovação dentro das nossas escolas serve para as abrir a jovens empreendedores que, de outra forma, não conseguiriam testar os seus produtos, mas, por outro lado, também estimula o contacto entre alunos e empresários, abrindo portas aos empreendedores do futuro, os nossos alunos

Partilhe

Acerca do Autor

Deixe Resposta

*