Meio milhão de euros para rede municipal de percursos pedestres e cicláveis em Melgaço

0

O Município de Melgaço vai implementar uma rede municipal de trilhos pedestres e cicláveis num total de 12 percursos interligados entre si e que funcionarão como uma rede viária pedonal/ciclável que ligará toda a paisagem natural e humanizada do concelho. O projeto, Walking & Cycling Melgaço, prevê que os percursos liguem a zona ribeirinha do concelho, junto ao rio Minho, passando pela pré-montanha ou meia encosta até às zonas mais altas de montanha bem no coração do Parque Nacional da Peneda-Gerês, num total de cerca de 150 km de trilhos para fruição da natureza que o Município Mais a Norte de Portugal oferece.

Castelo de Castro Laboreiro

O projeto contempla também ligações à vizinha Galiza, tanto na zona ribeirinha no vale do rio Minho e vale do rio Trancoso, mas também na zona de montanha, concretamente em Castro Laboreiro na fronteira da ameijoeira e no planalto de Castro Laboreiro. O objetivo é permitir uma oferta transnacional e permitir intercâmbios nos fluxos de turistas. Está também prevista ligação e enquadramento com os municípios vizinhos e articulação e integração com a Grande Rota do PNPG e com a rede de percursos supramunicipal da ADERE-Peneda Gerês.
A prática de andar a pé em trilhos sinalizados, ou pedestrianismo, é uma atividade que tem vindo a ganhar um número crescente de praticantes. Melgaço conta hoje com sete percursos pedestres de pequena rota sinalizados, mas que não constituem uma verdadeira rede, no sentido em que não estão devidamente interligados e estruturados. ‘Queremos criar uma verdadeira rede de percursos pedestres e cicláveis, estruturar este atrativo turístico que Melgaço oferece, requalificando os sete percursos existentes, adicionando mais cinco, como é o caso do Marco de Fronteira n.º 1 (PT-ES) em Cevide, freguesia de Cristóval, que tem cativado muitos curiosos.’, conta Manoel Batista, autarca de Melgaço.
O concelho de Melgaço é hoje reconhecido como destino para os amantes do pedestrianismo e das bicicletas. Para isso têm contribuído vários eventos organizados em torno destas duas vertentes, como a Maratona BTT Melgaço, a Taça Cyclin’ Portugal – XCM, o BTT XCO Vila de Melgaço, o PGTA (Peneda Gerês Trail Adventure), o MAT (Melgaço Alvarinho Trail) e o Primitive Race.
O projeto foi objeto de candidatura com vista ao seu cofinanciamento pelo programa VALORIZAR, promovido pelo Turismo de Portugal e enquadra-se na tipologia Cycling & Walking. ‘Portugal é muito mais do que o litoral, do que sol e praia, e Melgaço é um exemplo disso: tem tudo o que as pessoas procuram, que é o luxo, a autenticidade’, considerou a Secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, aquando da sua visita de trabalhos a Melgaço, no passado dia 18 de dezembro, lembrando o recente prémio de Portugal como o Melhor Destino Turístico do Mundo nos World Travel Awards. Na altura, a Secretária de Estado elogiou e enalteceu as potencialidades de Melgaço para o turismo de natureza, felicitando o Município pela aposta no projeto.

Castro Laboreiro

Os 12 percursos:
Nº 1 – Lamas de Mouro – Cevide
Nº 2 – Interpretativo Lamas de mouro
Nº 3 – Castro Laboreiro – Lamas de Mouro
Nº 4 – Interpretativo de Castro Laboreiro
Nº 5 – Megalitismo de Castro Laboreiro
Nº 6 – Trilho Castrejo
Nº 7 – Inverneiras de Castro Laboreiro
Nº 8 – Lamas de Mouro – Dorna
Nº 9 – Lamas de Mouro – Parada do Monte
Nº 10 – Brandeiro
Nº 11 – Vale Glaciar do Vez
Nº 12 – Branda da Aveleira

Investimento superior a meio milhão de euros
Walking & Cycling Melgaço será um investimento superior a meio milhão de euros e que resultará numa rede estruturada e sinalizada de percursos pedestres e cicláveis. O projeto contribui para a consecução de diversos objetivos, desde logo para o Plano Estratégico Nacional do Turismo (PENT), para a Agenda Regional de Turismo (ART) e para a própria estratégia local de aposta na qualificação e dinamização do produto Turismo de Natureza, enquanto produto turístico prioritário. ‘Uma aposta na qualificação e dinamização do produto Turismo de Natureza. Melgaço tem esse potencial e temos de o aproveitar’, considera Manoel Batista, observando a importância para ‘criar motivos de visita e interpretação do património natural e cultural existente em Melgaço, quer na zona do PNPG quer na zona ribeirinha do concelho, interligando-as, aproveitando desta forma as oportunidades e promovendo um Turismo Sustentável e inclusivo, no sentido de ser uma oportunidade para os habitantes do nosso território e uma oferta diferenciadora’.
O Turismo de Natureza é desde o primeiro PENT um produto estratégico para o país e que a ART define como prioritária para o território objeto desta candidatura. Sendo as Áreas Classificadas e a existência de elementos diferenciadores, como os garranos do Gerês, considerados pelo PENT como fatores de competitividade no Turismo de Natureza (atributos diferenciadores nas palavras da ART), a requalificação destes importantes pontos de visita do concelho de Melgaço e do PNPG é primordial para a consolidação de Melgaço como destino de Natureza.
Este projeto pretende ainda contribuir para os resultados esperados estabelecidos no próprio Programa Operacional Regional do Norte (POR-N: Norte 2020) ‘a qualificação e valorização dos ativos naturais com (…) vocação turística, contribuindo para o enriquecimento da oferta turística regional e, particularmente, para o desenvolvimento do (…) “turismo de natureza”, e a preservação e a valorização económica dos bens (…) naturais’.

Partilhe

Acerca do Autor

Deixe Resposta

*