Trilho dos Apalaches de Oleiros com elevada capacidade de atração e superação

0

Realizou-se no passado sábado, dia 27 de outubro, mais um passeio pedestre organizado pelos trilhos do mais famoso percurso do Mundo. Em plena Serra do Muradal, o Trilho Internacional dos Apalaches português é sempre surpreendente e permite um grau de satisfação e superação únicos a quem o percorre.
Foi o que aconteceu com os 149 participantes desta atividade, a maioria de fora do concelho, os quais ao longo dos 11 km puderam apreciar bem de perto e ao vivo a escalada que acontecia nas 15 vias equipadas da Crista de Zebro, contemplar miradouros magníficos e assistir a uma interpretação geológica in loco de fósseis existentes e de todo o relevo apalachiano que caracteriza aquele território, a cargo da geóloga Joana de Castro Rodrigues, do Geopark Naturtejo.
Ao longo da jornada, iam sendo revelados locais deslumbrantes, como o Poço de Fervença e foi ainda possível verificar a existência de novas vias de escalada, junto do Miradouro do Zebro, o qual será requalificado através de um projeto elaborado pelo Arquiteto Siza Vieira.
Um ano após os incêndios que no verão passado atingiram a região, a atividade demonstrou que o Trilho dos Apalaches verifica elevado dinamismo, sustentabilidade e capacidade de atração, surpreendendo e garantindo a máxima superação a quem o percorre. A atestar este facto, a partir de agora, sempre no 3.º sábado de cada mês, vai ser possível experimentar gratuitamente a prática de escalada na Crista de Zebro. A próxima experiência de escalada gratuita está já agendada para o dia 17 de novembro.
Recorde-se que a atividade foi promovida pelo Município de Oleiros, em parceria com o Geopark Naturtejo, tendo sido organizada pelo Clube Raia Aventura, contando com o apoio das associações Os Cucos do Vilar Barroco e Trilhos do Estreito e dos Bombeiros Voluntários de Oleiros. A ação inscreve-se no consórcio iNature, no âmbito das Estratégias de Eficiência Coletiva (EEC) do PROVERE (Programa de Valorização Económica dos Recursos Endógenos).

Partilhe

Acerca do Autor

Deixe Resposta

*