Alentejo e Algarve em emissão filatélica dos CTT

0

Os CTT lançaram uma emissão de selos autoadesivos alusivas ao sul do país, com selos de 2014 a 2017. Nesta série filatélica foram destacadas as emissões dos selos da Rota das Catedrais, dos Barros Populares, da Cidade-Quartel Fronteiriça de Elvas e as suas Fortificações, as Árvores do Mediterrâneo e as Frutas de Portugal.

A Sé Catedral de Beja, em selo, é uma das igrejas mais antigas de Beja. Entre 1932 e 1937, foram realizadas obras de restauro, tendo sido valorizados os elementos maneiristas e barrocos. Em 2015, foi reaberta ao público após um fantástico restauro, preservando toda a história e beleza do monumento.
A Produção de Figurado em barro, usualmente designada por Bonecos de Estremoz, em selo, é uma arte com mais de três séculos. Em dezembro de 2017, a UNESCO classificou a Produção de Figurado em Barro de Estremoz como Património Cultural Imaterial da Humanidade.
O Aqueduto da Amoreira é um dos maiores símbolos da cidade de Elvas. Este aqueduto liga a localidade da Amoreira a Elvas, tem 843 arcos na sua totalidade, e ainda algumas galerias subterrâneas com mais de 6 metros de profundidade. A sua construção veio resolver o problema de abastecimento de água ao centro da cidade, situação que se tinha agravado com o aumento da população. Em 2012 foi eleito Património Mundial da Humanidade em conjunto com as fortificações de Elvas.
Em solos pobres nas regiões rurais, como o Alentejo e Algarve interior, encontra-se outra árvore nativa da região mediterrânica, o medronheiro (Arbutusunedo) ou ervedeiro. No outono, as suas folhas de bordos errado e verde brilhante contrastam comos frutos comestíveis, amarelos e avermelhados, de grande beleza, bastante apreciados sobretudo no sul de Portugal, onde são usados na produção de licores, aguardentes e compotas. As flores desta árvore de cor branca ou levemente rosadas são muito decorativas, sendo assim considerada uma planta ornamental.
O Algarve é a principal região produtora de citrinos em Portugal devido à combinação de elementos, como o clima e o solo, que são favoráveis a esta cultura. Os longos períodos de sol e as temperaturas características desta região garantem-lhe um lugar de destaque para a produção e laranjas, que beneficiam de características distintas, como o paladar agradável, o equilíbrio entre açúcares e ácidos, o elevado nível de sumo e a sua casca colorida e brilhante.
Esta emissão filatélica é composta por 30 selos autoadesivos, de envio extra europa até 20 gramas, com uma tiragem de 30 000 exemplares cada. O Selo das Rota das Catedrais e o selo da Cidade-Quartel de 2014, o selo Barros Populares e Frutas de Portugal de 2015 e o selo das Árvores do Mediterrâneo de 2017. O deisgn desta emissão pertence a Túlio Coelho, do Atelier Design&etc, porém cada selo tem o seu próprio ilustrador. As obliterações de primeiro dia serão feitas nas lojas dos Restauradores em Lisboa, Munícipio II no Porto, Zarco no Funchal e Antero de Quental em Ponta Delgada.

Partilhe

Acerca do Autor

Deixe Resposta

*