Parc La Villette

0

A fusão entre jardins e arquitectura!

O Parc la Villette, em Paris, é um espaço verde muito agradável e com diversos pontos de interesse.Estamos perante um cenário com cariz lúdico onde o visitante é confrontado com esculturas de grande dimensão, jardins temáticos e jardins de autor.Mas não são apenas os espaços verdes que atraem em La Villette, a arquitectura tem uma presença muito forte e é marcante para o visitante.

Quando referi que a componente lúdica é uma realidade, esta afirmação advém da utilização que os parisienses dão a La Villette através de longos passeios, o descansar na relva ou relaxar junto ao plano de água ou mesmo assistir a espectáculos.

A arquitectura domina em diferentes estados. Na entrada principal – Porte de Pantin temos à nossa direita a Cidade da Música e à nossa esquerda, o Conservatório de Paris e o Teatro Paris-Villette. A zona central é dominada por edifício com história em ferro forjado (quando o visitei, estava a decorrer uma feira de produtos naturais de grande qualidade e com uma grande dimensão) e uma grande fonte.

A evolução para o jardim faz-se, no sentido Oeste, por uma ampla galeria com os jardins temáticos (Jardin des Miroirs, Jardins Passagers e Jardin des Vents et des Dunes) com visitas guiadas sujeitas a horários e de autor pela nossa esquerda e o edifício Grande Halle à nossa direita. Os jardins são interessantes e mais intimistas mas, ao serem de visita guiada e com horários impede um acesso imediato. Nos jardins de autor temos o dos espelhos que produz um efeito interessante mas que teria muito mais impacto se tivesse sido implantado num zona menos arborizada. Desta forma a luz solar e a conjugação de espelhos produziria um efeito muito superior. Convém explorar bem esta zona pois tem recantos muito interessantes e está um pouco fora do fluxo dos visitantes.

Deixamos o intimismo rumo aos grandes espaços de relvado. Temos duas possibilidades de explorar esta parte inicial do parque através de uma visão aérea assegurada por uma estrutura metálica de grandes dimensões com quase 600 metros de comprimento e que se desenvolve ao longo de um canal ou através de uma visão junto ao solo. Para mim a visão aérea é mais abrangente e ficamos logo com uma noção da dimensão do parque e dos pontos interessantes a visitar e para além disso, a estrutura possui diversas escadas laterais que facilitam o acesso ao solo e aos pontos de visita. A esfera Geode atrai logo a nossa atenção e acaba por ser o ponto fulcral do parque pois, ao longo de todo o passeio é uma referência visual muito importante. Mas o parque tem mais motivos de interesse, optei por começar o meu passeio pela zona da direita para quem está virado para a água, no sentido NE. Um mural na Prairie Du Cercle e inserido na arquitectura chamou-me à atenção por causa do tema, da cor e da forma. Mas um pouco mais distante e numa zona muito arborizada surgem da terra esculturas de grande dimensão que, ao longe, não consigo identificar com clareza. Ao aproximar-me deparo-me com uma homenagem à bicicleta através de diversas esculturas de grande impacto visual. Continuo a caminhar no sentido de uma ponte que me levará ao outro lado do canal e à esfera. É uma zona mais sombria de La Villette e um pouco menos cuidada. A passagem superior transporta-nos para um ambiente totalmente diferente dominada pelo edifício da Cidade das Ciências e das Indústrias.

O betão é o elemento preponderante e o espaço verde desenvolve-se a dois níveis de altura. Um conjunto de árvores, situadas no plano inferior, com um sistema de irrigação que lhe transmite uma configuração geométrica e muito interessante visualmente. Estamos a aproximarmo-nos da esfera (Geode) e dos seus magníficos reflexos onde o original se confunde com a imagem projectada. Neste espaço o ambiente é muito curioso devido às sensações e ilusões ópticas criadas pelos reflexos da esfera e, é uma zona mais geométrica com inúmeras esculturas em metal que permita uma conjugação de perspectivas muito interessantes. Na Geode funciona, no seu interior, uma sala de cinema com projecções relacionadas com natureza. Voltamos a mudar de cenário na nossa progressão com a presença das trepadeiras com grande impacto visual que se interligam com esculturas metálicas com formas geométricas. Estamos a aproximar-nos do final do nosso passeio resta-nos uma zona de La Vilette composta por um ampla praça com uma torre com diferentes modelos de relógios gigantes da Swatch. Este é um espaço menos cuidado e que denota alguma degradação.

Num balanço final La Villette é um espaço verde de características únicas com diferentes pontos de interesse que merece uma visita atenta. A não perder!

Ficha do passeio

Localização: Paris / França

Acesso em transportes públicos:

Metro

– Porte de Pantin (Grande Halle) : Ligne 5 – Bobigny – Place d’Italie

– Porte de la Villette : Ligne 7 – Villejuif-Louis Aragon / La Courneuve

Autocarro

– Porte de Pantin (Grande Halle) : ligne 75, 151, PC 2 et 3

– Porte de la Villette (Cité des Sciences) : 75, 139, 150, 152, PC2 et PC3, Station Porte de la Villette

Internet: www.villette.com

[mappress]
Partilhe

Acerca do Autor

Deixe Resposta

*