Caminhada da Ericeira a Odrinhas passando pela aldeia de Broas

0

Pelos vales mágicos!

A proposta de hoje é uma caminhada linear de 19 km, ao longo do rio Lizandro com início na vila da Ericeira passando pela igreja da Nossa Senhora d’Ó, a aldeia abandonada de Broas e com terminus em Odrinhas.

Texto e fotografia: Vasco de Melo Gonçalves

Ponte junto à igreja Nossa Senhora d’Ó.

O percurso desenvolve-se, na sua fase inicial, junto ao rio Lizandro e pelas inúmeras hortas. Trata-se de um trajeto eminentemente paisagístico sem qualquer dificuldade física onde podemos observar algumas aves nomeadamente, a garça-real, águia de asa redonda, peneireiro comum, gralha-preta e guarda rios, entre outras. Ao quilómetro 7,6 temos que atravessar o rio Lizandro. Esta situação poderá ser uma dificuldade caso o caudal do rio seja elevado. Desde este atravessamento até ao quilómetro 11, a progressão é feita com alguma dificuldade devido ao forte canavial, à lama e ao alagamento de parte do percurso.

Com a chegada à povoação do Carvalhal o cenário altera-se por completo. Os horizontes alargam-se, surgem inúmeras estufas e o tipo de terreno é diferente. É junto a esta povoação que o perfil de altimetria também se altera com uma subida acentuada que nos leva a um conjunto de moinhos (quilómetro 13,9). Neste ponto, a vista é espetacular e de 360°. Retemperadas as forças, o nosso próximo destino é a aldeia abandonada de Broas. Caminhamos, durante cerca de um quilómetro, à mesma cota com uma paisagem campestre vendo-se, ao longe, mais urbanização. Quando chego à Aldeia de Broas a sensação é estranha devido ao estado de conservação da povoação, onde é fácil de tentar imaginar como teria sido a vida naquele lugar isolado mas tão perto da civilização!
A parte final do percurso tem como destino a povoação de Odrinhas e o seu interessante Museu Arqueológico. Este complexo museológico tem elementos de visitação que estão no exterior e que são de livre acesso e, no interior (pago), exposições permanentes e uma bela e completa biblioteca especializada em arqueologia. A visita a este espaço exige tempo e, como cheguei a Odrinhas pela hora do almoço, optei por ir reconfortar o estômago primeiro e depois voltei ao museu.
O regresso à Ericeira foi feito com recurso ao transporte público (ao fim-de-semana temos duas camionetas da parte da tarde).

Junto ao Carvalhal, alguns dos moinhos apresentam um estado de degradação assinalável.

Igreja de Nossa Senhora do Ó do Porto da Carvoeira

Pia de agua benta, quinhentista, dividida em gomos sem decoração, com boleados junto ao friso superior, cujo suporte é decorado com florões.

Igreja de Nossa Senhora do Ó do Porto da Carvoeira
A Igreja De Nossa Senhora do Ó, é a Igreja Matriz da Paróquia de Nossa Senhora do Ó do Porto da Carvoeira, paróquia da Vigararia XI da Diocese de Lisboa, desde 1570.
Situa-se no vale da Carvoeira, afastada da povoação, perto nas margens do Rio Lizandro. É um imóvel classificado como de interesse Municipal, que se foi degradando ao longo dos tempos mercê das inundações provocadas pelas cheias do rio, agora controladas por açudes, e que ciclicamente inundavam o vale. O seu recheio interior foi-se assim danificado, tanto ao nível das alfaias, como do próprio mobiliário durante o séc. XVII e XIX. Somente em 1983, se deu inicio a obras de recuperação e restauro ao nível das paredes externas, e em 1988 foi alvo de assalto perdendo quase todas as suas imagens de culto, incluindo a Senhora do Ó.
A igreja normalmente está encerrada sendo que a Liturgia se efetua no primeiro domingo de cada mês pelas 10h 15m.

Aldeia de Broas
Na Freguesia de Cheleiros localiza-se a Aldeia de Broas, um aglomerado de casas rurais que remonta ao século XVI, desabitado desde meados do século XX. Trata-se, pelos vestígios que ali podem ser encontrados, de um testemunho único da forma de vida das populações de outros tempos em região saloia. É muito interessante esta visita ao passado….

Museu Arqueológico de São Miguel de Odrinhas

Museu Arqueológico de São Miguel de Odrinhas
O Museu é uma referência na região de Odrinhas e um local de visita obrigatória. Reúne um vasto espólio que é apresentado através de excelentes exposições (“O Livro do Tempo” e “O Claustro do Tempo”) no interior e, as escavações junto à Ermida de São Miguel das Odrinhas. Outro ponto de interesse prende-se com os restos de uma Vila Romana, o arqueólogo Cardim Ribeiro “… defende estarmos, muito simplesmente, perante a exedra, ou sala nobre, da villa romana em que estruturalmente se insere, provida de um espaço para triclínio e datável de inícios do séc. IV d. C.”.
Horário
De Terça-feira a Sábado, das 10.00 às 13.00 e das 14.00 às 18.00
O Museu encerra aos Domingos, Segundas-feiras e Feriados
A Biblioteca encerra durante o mês de Agosto
Bilhete: 2 Euros

Percurso
Tipo: Linear
Extensão: 19,1 km
Início: Ericeira
Final: Odrinhas
Grau de dificuldade: 3 (1 a 5)
Sinalizado: Não
Track de GPS: http://ridewithgps.com/routes/11342366

Informações úteis
Museu de Odrinhas: http://museuarqueologicodeodrinhas.cm-sintra.pt/default_pt.php
Restaurante em Odrinhas: Existem diversos restaurantes na povoação com uma boa relação qualidade/preço.
Camionagem Mafrense: http://www.mafrense.pt/mafrense/homepage.aspx

Partilhe

Acerca do Autor

Deixe Resposta

*