Convento dos Capuchos, o Paraíso na Terra

0

Uma história de simplicidade e de respeito pela natureza caracteriza a conceção do Convento dos Capuchos e da ordem religiosa que o ocupou, os Franciscanos.

Claustro.

Texto e fotografia: www.tudosobrejardins.com

No coração da Serra de Sintra descobrimos, no Convento dos Capuchos, os primórdios da arquitetura invisível e o grande respeito pela natureza. Ao visitar este local de culto e verificar as suas condições de habitabilidade tão básicas é-me difícil imaginar como seria o dia-à-dia dos franciscanos e como conseguiam ultrapassar os rigores climatéricos da região. De todos os locais que visitei na Serra de Sintra este é, o que mais me encanta e o que mais contrasta com o fausto e a grandiosidade dos palácios. Talvez, o único ponto em comum, seja o gosto pela natureza e pelas plantas…
Depois de anos ao abandono e de delapidação, o Convento dos Capuchos tem vindo a recuperar a sua dignidade agora que está integrado na Parques de Sintra Monte da Lua. Os espaços adjacentes vão sofrer intervenções profundas e, num futuro breve, poderemos ver o espaço totalmente recuperado nomeadamente, as hortas.

Davallia canariensis também conhecida por Cabrinha ou fetos-dos-carvalhos

Valor botânico
Os frades tiveram um papel fundamental na preservação da vegetação natural na cerca do convento ao que hoje se designa por floresta relíquia. Para além das espécies de carvalhos, como o Sobreiro (Quercus suber), o Carrasco (Quercus coccifera) e o Carvalho-alvarinho (Quercus robur), predominantes nesta floresta, destacam-se também outras espécies de porte arbóreo como o Medronheiro (Arbutus unedo), a Aveleira (Corylus avellana), o Castanheiro (Castanea sativa), o Buxo (Buxus sempervirens) e o Loureiro (Laurus nobilis). Estas e outras espécies fazem parte de um Percurso Botânico existente no local.

Camellia japonica

A Parques de Sintra criou um Roteiro Botânico com a descrição das espécies existentes com magníficas ilustrações e, também estabeleceu prioridades de conservação para espécies endémicas com elevado valor. Fiquemos com algumas espécies:

Azevinho (Ilex aquifolium)
Pode alcançar 8-10 metros de altura. Só nos exemplares femininos se observam os frutos vermelhos tão utilizados na decoração de Natal. Classificada como estando em Perigo de Extinção em Portugal Continental, é frequente nos Parques e Jardins de Sintra, mas a sua presença é escassa fora destes locais e ameaçada dentro do Parque Natural de Sintra-Cascais. O principal fator de ameaça é a recolha de plantas inteiras e de ramos com frutos, o que inviabiliza muitos exemplares em frutificação.

Feto-folha-de-hera (Asplenium hemionitis)
Pequeno feto, cujo nome comum deve a sua origem à semelhança que tem com as folhas de hera. Surge em sítios sombrios e húmidos, precisando de proteção contra a luz solar direta. Classificada como espécie em Perigo Crítico de Extinção. No Parque Natural de Sintra-Cascais encontra-se fortemente ameaçada. Como fatores de ameaça conhecem-se a limpeza não controlada de muros e caminhos, a remoção de vegetação adjacente e a substituição de muros de pedra por muros de betão.

Feto-do-botão (Woodwardia radicans)
Considerada uma espécie em Perigo de Extinção em Portugal Continental, o seu estatuto é indeterminado no Parque Natural de Sintra-Cascais, onde a sua presença apenas é conhecida em parques e jardins históricos, entre os quais os Parques da Pena e de Monserrate.

Samouco (Myrica faya)
No Parque Natural de Sintra-Cascais é dada como potencialmente ameaçada, desconhecendo-se as suas tendências populacionais neste local. O único fator de ameaça conhecido é a ocorrência de fogos florestais.
Pinguicula lusitanica
Planta carnívora, presente em locais húmidos. Espécie classificada como Vulnerável em Portugal Continental, é considerada ameaçada no Parque Natural de Sintra-Cascais, onde apenas se conhecem dois núcleos populacionais, ambos na Serra. Entre os fatores de ameaça, destacam-se o pisoteio e a limpeza de valas.

Coincya cintrana
Espécie associada a florestas de carvalhos, presente sobretudo em locais sombrios e frescos, tratando-se provavelmente de uma espécie que só existe na Serra de Sintra. Classificada como Vulnerável em Portugal Continental, os dados disponíveis para o Parque Natural de Sintra-Cascais indicam que as suas populações se mantêm estáveis. A ocorrência de fogos florestais e a expansão das acácias são os principais fatores de ameaça.

Thuja plicata

Informações úteis
Convento dos Capuchos / Sintra
Coordenadas GPS: 38° 46’ 58.48” N 9° 26’ 8.86” W
Horário até 28 de Outubro:
09h30 – 20h00, último bilhete/última entrada 19h00

Preços
Bilhete adulto (de 18 a 64 anos) – 7 euros
Bilhete jovem (de 6 a 17 anos) – 5,50 euros
Bilhete sénior (maiores de 65 anos) – 5,50 euros
Bilhete família (2 adultos + 2 jovens) – 22 euros

Partilhe

Acerca do Autor

Deixe Resposta

*