Tapada Nacional de Mafra – Um destino para todo o ano

0

Veado

Num percurso circular de apenas 8 quilómetros conseguimos ter uma noção do potencial que a Tapada Nacional de Mafra tem no que diz respeito ao seu património natural.

Texto e fotografia: Vasco de Melo Gonçalves

“A Real Tapada de Mafra foi criada em 1747 com o objetivo de proporcionar um adequado envolvimento ao Monumento, de constituir um espaço de recreio venatório do Rei e da sua corte e ainda de fornecer lenha e outros produtos ao Convento”.
Com uma área de 1200 hectares, a Real Tapada de Mafra era rodeada por um muro de alvenaria de pedra e cal, com uma extensão de 21 Km.
Ao longo dos anos, o espaço tem sofrido algumas alterações com a passagem de 360 hectares para a administração militar. Mais recentemente, em 1998, é criada uma Cooperativa de Interesse Público para aproveitamento dos recursos da TNM, com o Estado a deter posição maioritária no seu capital social, em parceria com a Câmara Municipal de Mafra e entidades privadas.
Ciclicamente visitamos este espaço pois, as diferentes estações do ano criam novos motivos de atração. A criação de Percursos Pedestre veio ajudar à descoberta de um território rico em flora e fauna. Escolhemos o percurso Verde que nos permitiu ter uma noção abrangente da Mata pois, caminhamos entre veados e gamos, admiramos as edificações ligadas à caça e visitamos um antigo forno de cal. Ao nível do relevo o percurso desenvolve-se por vales e zonas mais altas o que proporciona uma visão diferente do espaço com paisagens distintas. Se o relevo se altera, a flora acompanha estas nuances através do surgimento de novas espécies.
Para além da flora, a visita à mata é muito interessante devido à riqueza de aves e mamíferos que alberga.
O percurso está sinalizado e não oferece grandes dificuldades. Uma nota menos positiva para o estado em que se encontram algumas edificações e recintos que mostram um estado de degradação e falta de manutenção.

Forno de cal

Cebola-do-mar_Urginea maritima

A Mata da Tapada e a sua Flora
Entre as árvores mais comuns, destacam-se o Eucalipto (Eucalyptus globulus), o Sobreiro (Quercus suber), o Pinheiro bravo (Pinus pinaster) e o Pinheiro-manso (Pinus pinea).
Segundo a informação da Tapada Nacional de Mafra temos o seguinte estrato arbóreo:
O Carvalho Português (Quercus faginea) é abundante e disperso por todo o território;
O Sobreiro (Quercus suber) é abundante e ocorre nas zonas de baixa altitude;
A Azinheira (Quercus ilex) está presente apenas no Jardim anexo à Casa de Campo;
O Pinheiro-Manso (Pinus pinea) é pouco abundante e localizado na zona do Pinhal da Chanquinha;
O Pinheiro-Bravo (Pinus pinaster) é abundante e localizado entre a zona da Barroca e o Codeçal;
O Castanheiro (Castanea sativa) é pouco abundate e ocorre nas zonas de baixa altitude;
O Castanheiro-da-Índia (Aesculus hipposcastanum) é pouco abundante, ocorre apenas na zona do Celebredo;
O Choupo (Populus sp.) é abundante, ocorre nas zonas de baixa altitude e junto das linhas de água;
O Plátano (Platanus sp.) é abundante e ocorre apenas no vale principal, junto à ribeira de Safarujo;
O Salgueiro (Salix sp.) é pouco abundante, ocorre nas zonas de baixa altitude e junto das linhas de água;
O Freixo (Fraxinus sp.) é abundante, ocorre nas zonas de baixa altitude e junto das linhas de água;
O Loureiro (Lourus nobilis) é pouco abundante, ocorre junto das linhas de água;
A Olaia (Cercis siliquastrum) é pouco abundante e ocorre apenas no vale principal, junto à ribeira de Safarujo;
O Ulmeiro (Ulmus minor) é pouco abundate e ocorre de forma dispersa;
O Zambujeiro (Olea europaea var. sylvestris) é abundante e ocorre disperso por todo o território;
O Eucalipto (Eucalyptus globulus) é pouco abundate, ocorre concentrado em 5 zonas.

As borboletas são abundantes esta, parece ser uma Pyronia cecilia

Águia de Asa Redonda – Buteo buteo

Tentilhão comum

A Tapada de Mafra e a sua Fauna
A diversidade de habitats presentes na Tapada Nacional de Mafra (TNM), bosques, pastagens, matos e linhas de água, permite a existência de um grande número de espécies animais.
Com alguma sorte podemos observar a águia-de-Bonelli pois, existe um residente que faz, usualmente, o seu ninho num pinheiro-bravo.
O açor (Accipiter gentilis) é, tembém, uma presença na Tapada. Um casal nidifica na zona da Barroca e pode ser encontrado por todo o território.
O bufo-real, a maior ave de rapina nocturna da Europa, encontra aqui tranquilidade, abrigo e o alimento necessário para o seu desenvolvimento.
Em 2007 foi, pela primeira vez, observada na Tapada de Mafra uma águia-cobreira (Circaetus gallicus).
Entre as mais de 60 espécies de pequenas aves que aqui ocorrem, as mais comuns são os chapins, os rabirruivos, os tentilhões e as alvéolas. Em agosto, quando caminhámos pela Tapada observámos alguns exemplares de Andarinhões pretos.
As galerias ripículas das margens das ribeiras são o habitat de numerosos invertebrados e de grupos faunístico que deles se alimentam, como a avifauna e a herpetofauna. Nestes locais, são observados diversos tritões, salamandras, rãs, relas, sapos, cágados e diferentes espécies de cobras.
Os mamíferos, em particular o gamo (Cervus dama), o veado (Cervus elaphus), o javali (Sus scrofa) e a raposa (Vulpes vulpes), são as espécies mais conhecidas pelo público e emblemáticas da Tapada de Mafra.
No entanto, outros mamíferos habitam na Tapada, como o coelho-bravo (Oryctolagus cuniculus), o texugo (Meles meles), a geneta (Genetta genetta), o sacarrabos (Herpestes ichneumon), a doninha (Mustela nivalis) e o ouriço-cacheiro (Erinaceus europeus), entre outras.

Ficha do Percurso
Localização: Tapada Nacional de Mafra (Percurso Verde)
Distancia: 8,1 km
Tipo: Circular
Sinalizado: Sim
Elevação: + 161 / – 174 m
Inclinação máx.: 20,7 %
Inclinação média: 0.6 %
Grau de dificuldade: Médio baixo
Track de GPS: https://ridewithgps.com/routes/23798990

Pavilhão de Caça

Informação útil
Tapada Nacional de Mafra, Portão do Codeçal 2640-602 Mafra

Contactos
Escritórios – +351 261 817 050 / Recepção – +351 261 814 240
geral@tapadademafra.pt / reservas@tapadademafra.pt / http://tapadademafra.pt/pt/

Horário de verão (15 de Julho a 8 de Setembro)
Dias úteis – 9h30 às 19h00
Sábado, domingo e feriados nacionais – 9h30 às 19h00

Localização
38.964797, -9.302733
N 38º 57.884, W 009º 18.162

Partilhe

Acerca do Autor

Deixe Resposta

*