A cultura sobre carris

0

Protocolo Câmara Municipal de Castelo Branco /CP– Comboios de Portugal

No passado dia 11 de Abril teve lugar uma importante cerimónia de assinatura de protocolo na cidade de Castelo Branco. Esta assinatura entre o Presidente da Câmara e o Presidente da CP assinalou o lançamento do Programa “A cultura sobre carris” que contou com a presença da senhora secretária de Estado do Turismo Ana Mendes Godinho.
Foi o momento também para apresentar a nova imagem de marca da cidade desenvolvida pela Ivity e que de forma inteligente liga o bordado de Castelo Branco com o bem receber.

Texto: Luisa Mendes Fotografia: Lobo do Mar e CP

Carlos Nogueira CP Ana Mendes Godinho Turismo Portugal e Luís Correia Presidente Município

O protocolo foi assinado entre o Presidente da Autarquia Dr. Luís Correia e o Presidente da CP Dr. Carlos Gomes Nogueira. Tem como objetivo promover o binómio viagem de comboio com novo roteiro turístico de Castelo Branco.
Segundo o Dr. Luis Correia “entendemos que temos o património cultural, histórico e paisagístico e as infraestruturas necessárias para, com competência, descentralizar a oferta nacional muito concentrada nos centros urbanos de maior dimensão”.
A rede de museus de excelente qualidade e as rotas do Bordado, Histórica, Contemporânea e Industrial (ligada ao património nomeadamente o têxtil).
Esta importante parceria de cooperação, isto é, a componente transporte ligado ao destino escolhido, pretende promover Castelo Branco como um destino turístico e trazer mais portugueses a esta cidade e também os estrangeiros que nos visitam e que voam para Lisboa, Porto e Faro. A proposta é de um dia mas pode estender-se a mais do que um dia ficando ao critério dos utilizadores destes programas.
Castelo Branco tem ainda a vantagem da estação de comboios ficar na cidade, pelo que é fácil a movimentação dentro da mesma.
Para o Dr. Carlos Nogueira: “ Os 2000 kms de linha que têm são para ser potenciados e as autarquias são parceiras fundamentais. A CP afirma que está 100% recetiva aos convites para criarem estas ofertas em parceria.
Estão a fazer um esforço diário para melhorar as condições das ferrovias e dos seus equipamentos, tornar esta forma de viajar uma verdadeira alternativa de qualidade.
De acordo também com a Drª. Ana Mendes Godinho: “A procura turística em Portugal tem sido alargada a todo o território, cada vez mais os estrangeiros procuram a autenticidade, aquilo que é diferente em relação a qualquer parte do mundo e isso encontra-se no interior do País.
Temos alguns indicadores interessantes dos último 3 anos que dão conta de um crescimento de 45% de aumento das receitas turísticas; 1,04 milhões de dormidas no interior do País.
Estes números traduzem-se em maior criação de emprego e quebra na sanzonaliade. Os destinos têm procura durante quase todo o ano.
Só em 2018 registámos 44000 noticias na imprensa internacional sobre produtos a serem descobertos no interior de Portugal”.

Durante décadas viajar de comboio não era opção. A rede de estradas construídas era considerada preferencial. Esse estado de coisas está a mudar e de acordo com Nuno Cavaco, responsável na CP pelo Longo Curso e produtos turísticos associados: “… nunca tiveram tanta gente e viajar de comboio como agora. As vantagens são inúmeras, poder trabalhar enquanto se viaja ou simplesmente ler um livro ou ouvir música. Viajar em família e com crianças pode ser uma experiência única e ainda o facto económico. Bilhetes comprados com antecedência podem sair a preços francamente acessíveis…”
A CP possui dois tipos de Rotas, as Regulares dentro dos comboios de horário e que pretendem potenciar os serviços já estruturados. Exemplos destas rotas é por exemplo a Rota da Lampreia até Belver ou a rota das Cerejeiras em Flor até ao Fundão.
As coletividades e associações e até grupos organizados espontaneamente, conhecem os nossos programas e tiram partido das vantagens que estas parcerias oferecem.”
A CP tem também uma equipa de vendas no Porto, Coimbra, Lisboa e Faro que estão vocacionadas para tratar destes produtos junto dos clientes.
Também é interessante saber que a procura abrange todas as faixas etárias. Grupos seniores a jovens estudantes e também é organizado o transporte de muitas crianças das escolas, por exemplo até Lisboa para visitar o jardim Zoológico.
Outra possibilidade é preparar rotas à medida dos clientes.
Estas viagens abarcam todo o território nacional e têm o grande objetivo de potenciar a importância do território nacional do interior e levar as pessoas a conhecer.
Algumas ofertas já existentes passam pelas Vindimas no Douro, as Cerejeiras em Flor no Fundão, a Apanha da Cereja, Rota do Azeite, Aldeias Históricas, Apanha da Uva sem Grainha com visita à Quinta do Vale da Rosa…
Estas parcerias que a CP tem com várias entidades podem ser conhecidas em www.cp.pt

Chegada a Castelo Branco.

Rota dos Museus apresentada
Para convidados e comunicação social foi possível embarcar em Sta Apolónia, Lisboa e rumar até à cidade de Castelo Branco. O dia estava convidativo e o trajeto é bastante bonito sobretudo a partir do Entroncamento. O programa proporcionado é bem exemplificativo dum roteiro turístico de um dia mas muito mais ficou para conhecer. Castelo Branco justifica um fim de semana sem dúvida. O bilhete de comboio dá direito a descontos nos museus da cidade.

O grande pintor português Cargaleiro.

Chegados à cidade com uma receção animada com de bombos e cantares, rumamos ao Museu Cargaleiro, onde após assinatura do respetivo protocolo de parceria se seguiu uma visita a este equipamento importante da cidade e que congrega a coleção do artista.

Os famosos bordados de Castelo Branco.

Seguimos a pé para o Centro de Interpretação do Bordado de Castelo Branco, na visita guiada podemos admirar algumas peças da coleção e trabalhos contemporâneas feitos em parceria com estilistas que utilizaram o bordado como fazendo parte dos seus projetor. Este espaço integra a oficia escola e ainda exposição do ciclo da seda.
A animação em suporte digital exemplificando os vários pontos do bordado sobre o linho está muito bem conseguida. Fascinante espaço de visita obrigatória.

Jardim do Paço Episcopal

Depois do almoço onde as especialidades gastronómicas marcaram presença o nosso destino o Jardim do Paço Episcopal. Se o bordado é a identidade do Concelho de Castelo Branco este jardim é talvez o mais internacional cartão de visita.
No link seguinte pode saber mais sobre este jardim num trabalho publicado em 2016 em
https://www.portaldojardim.com/pdj/2016/03/15/paco-episcopal-de-castelo-branco-um-exemplo-do-barroco-nos-jardins/

Centro de Cultura Contemporânea de Castelo Branco

Depois da visita ao jardim ainda houve tempo para visita ao Centro de Cultura Contemporânea de Castelo Branco, bem no centro da cidade, onde fomos surpreendidos pela Exposição Gulbenkian Itinerante um pouco à semelhança do que eram as Bibliotecas Itinerantes da Gulbenkian.

Mutex – Museu dos Têxteis

Seguiu-se visita guiada ao Mutex – Museu dos Têxteis em Cebolais de Cima, a história de todo um sector têxtil transmitida através dum património industrial e tecnológico aqui preservado e mantido numa antiga fábrica de lanifícios agora reabilitada.

Antes do regresso uma degustação de iguarias onde o peixe de rio em escabeche marcou presença através dos produtos com a chancela Bem Amanhado.

Aqui fica apenas um aperitivo da Rota dos Museus de Castelo Branco.
Saiba mais www.cm-castelobranco.pt

Partilhe

Acerca do Autor

Deixe Resposta

*